O que é assessoria de imprensa?

O que é assessoria de imprensa?

Por Pedro Tavares

É uma forma de fazer Relações Públicas. Para começar, vamos separar duas coisas que costumam ser confundidas: assessoria de imprensa e publicidade. No caso da assessoria, o principal objetivo é construir pontes entre instituições, como empresas, órgãos públicos e pessoas, e veículos de comunicação. Enquanto isso, a publicidade tem um papel diferente: ela vende uma marca mediante pagamentos de anúncio em diferentes tipos de mídia.

Mas quando devo contratar uma assessoria de imprensa? O assessorado deve considerar essa opção no momento em que estiver preparado para dar entrevistas e servir de fonte de informação e referência profissional para jornalistas. Dessa forma, ele pode construir uma imagem de credibilidade junto à opinião pública.

Normalmente, o assessor de imprensa tem formação em jornalismo – muito deles tem experiência na redação de veículos de comunicação – ou relações públicas. Portanto, sua principal função é servir de ponte entre clientes, produtores e repórteres.

Esse post te ajudou? Mande um e-mail para contato@tawil.com.br e marque um café conosco!

NSC Law é destaque em alguns dos principais veículos do País

NSC Law é destaque em alguns dos principais veículos do País

O Dr. Rogério Nicola, sócio do escritório Nicola, Saragossa e Campos Advogados, cliente Tawil em Relações com a Mídia, falou sobre recuperação judicial para PME no Estadão Conteúdo, Terra e Infomoney.

As reportagens contam como a recuperação judicial tem sido uma saída importante para empresários de tamanhos e setores distintos, diante da maior crise vivenciada pelos brasileiros.

Para Nicola, em tempos difíceis como os atuais, a recuperação judicial segue sendo uma saída estratégica. “É uma das melhores modalidades a serem escolhidas, pois a Lei possui mecanismos que protegem a empresa”.

Opice Blum fala ao Estadão sobre página falsa do Facebook

Opice Blum fala ao Estadão sobre página falsa do Facebook

O Dr. Renato Opice Blum, especialista em Direito Digital e sócio do escritório Opice Blum Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou ao Estadão sobre o caso de uma página falsa que estava aplicando golpes em usuários do Uber.

Com o nome UberBr, a página afirmava premiar os usuários com crédito de R$ 100. No site, os criminosos pedem informações em troca do falso desconto, como nome completo, número de telefone e dados do banco e do cartão de crédito.

Para o Dr. Renato, o caso é uma clara ocorrência de estelionato. “Caso o criminoso seja identificado, ele receberá uma pena de até cinco anos e que pode aumentar de acordo com o número de pessoas atingidas”, afirma o advogado. “Felizmente, o Brasil é muito rápido para identificar e prender criminoso digitais. Em breve, o responsável por essas páginas deverá responder por isso.”

A página, que foi tirada do ar pelo Facebook nesta segunda-feira (06.02), tinha mais de 20 mil curtidas.

Guia de Manejo Florestal no Amapá (Idesam) é destaque no Portal EcoDesenvolvimento

Guia de Manejo Florestal no Amapá (Idesam) é destaque no Portal EcoDesenvolvimento

O Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), cliente Tawil em Relações com a Mídia, foi destaque no Portal EcoDesenvolvimento com o Guia Prático de Manejo Florestal de Pequena Escala no Amapá, que tem o objetivo de orientar produtores em todas as etapas do manejo florestal.

O informativo detalha a legislação que regulamenta a atividade, a importância dos atores necessários para a produção licenciada e conduz o pequeno produtor no caminho do licenciamento e produção sustentável.

Aos que não praticam a atividade, o Guia apresenta o potencial empreendedor da atividade florestal, os atores envolvidos do processo produtivo florestal e auxilia a entender as complexas etapas realizadas sob a copa da floresta Amazônica durante o manejo florestal licenciado, de seu planejamento à comercialização, passando pela documentação necessária e todos os trâmites envolvidos.

Elaborado pelo Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) em parceria com o Instituto Estadual de Florestas do Amapá (IEF/AP), Governo do Estado do Amapá, Grupo de Pesquisas e Intercâmbios Tecnológicos (GRET), Conservação Internacional (CI-Brasil), o informativo está disponível para download no site do Idesam: http://bit.ly/2ht1QKC.

Opice Blum Advogados comenta crime virtual à Revista Veja

Opice Blum Advogados comenta crime virtual à Revista Veja

O Dr. Renato Opice Blum, especialista em Direito Digital e cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou à revista Veja sobre crimes virtuais e suas punições.

Segundo o advogado, “quando a internet surgiu, as pessoas ainda receavam ser agressivas em público”.

“Atualmente, as decisões judiciais já levam em conta não só o autor de um crime como também quem o compartilhou”, completa.

A matéria completa está disponível na edição 2515.

ACJ Advogados fala ao Exame sobre taxa pelo parto

ACJ Advogados fala ao Exame sobre taxa pelo parto

No último final de semana (22.01), o Dr. Rodrigo Araújo, especialista em Direito à Saúde e sócio de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa,  falou ao Exame sobre a cobrança de taxa extra pelo parto ser ilegal.

Para o Dr. Rodrigo, se a Justiça aceitasse o pedido de reconhecer a taxa como sendo legítima, médicos credenciados de outras especialidades também se sentiriam motivados a cobrar taxas extras de seus pacientes em caso de cirurgia de emergência, por exemplo.

Segundo o advogado, neste caso, o número de ações na Justiça aumentaria, já que a lei dos planos de saúde (9.656/98) já exige a cobertura integral das despesas quando o médico e o estabelecimento forem credenciados pelo plano de saúde.

O Dr. Rodrigo afirma ainda que a gestante não pode exigir que o médico que a acompanhou no pré-natal esteja disponível para realizar o parto a qualquer momento. Mas, por outro lado, ele não pode cobrar taxas adicionais para fazer isso. “Caso não possa ficar disponível, ele deve recusar o serviço,” explica.

Opice Blum Advogados fala sobre divulgação de notícias falsas

Opice Blum Advogados fala sobre divulgação de notícias falsas

Nesta segunda-feira (23.01), o Dr. Renato Opice Blum, especialista em Direito Digital e sócio do escritório Opice Blum, Bruno, Abrusio e Vainzof Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou sobre a disseminação de notícias falsas na internet ao Portal Jota.

De acordo com a matéria, noticias falsas estão sendo mais compartilhadas do que as verdadeiras. Para o Dr. Renato, em último caso, como medida extrema, cabe a retirada de um site mentiroso do ar: “A liberdade de expressão protege a manifestação do pensamento. Não estamos falando disso, mas de uma alteração da verdade, com algum objetivo que não conhecemos”.

O advogado ainda afirma que além da responsabilidade civil e da possibilidade de responder por injúria, calúnia e difamação perante as vítimas das mentiras, autores de sites de notícias falsas podem ser alvos também de ações relacionadas ao direito do consumidor.

 “Na prática você está apresentando um produto, a informação, que é fraudulento. É enganoso na apresentação. Você está ferindo o propósito do consumidor, mesmo que a remuneração seja indireta”, explica o Dr. Renato.

ACJ Advogados comenta cirurgia ilegal e morte de pacientes

ACJ Advogados comenta cirurgia ilegal e morte de pacientes

Neste domingo (23.01), o Dr. Rodrigo Araújo, especialista em Direito à Saúde e sócio de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou sobre o caso de um médico acusado de cirurgia ilegal no Brasil no programa Domingo Espetacular, da Rede Record.

A matéria denuncia a morte de 7 pacientes que passaram por cirurgia nas mãos do Dr. Áureo Ludovico de Paula, médico conhecido que tem entre as celebridades atendidas, o ex-jogador Romário. O procedimento médico chamado interposição ileal é usado para tratar a obesidade e a diabetes.

Os órgãos que regulam a medicina no Brasil apenas reconhecem o tratamento como experimental. O Dr. Rodrigo afirma que nesses casos, é fundamental que os pacientes que operam saibam os riscos envolvidos:

“Primeiro, o paciente tem que ter a manifestação livre e esclarecida a respeito do interesse dele em fazer a cirurgia. O paciente precisa fazer isso de forma gratuita, ou seja, ele não pode receber por participar da pesquisa clínica e também não pode ter que pagar os serviços do médico que vai realizar o procedimento.”

ACJ comenta cobrança da taxa de parto

ACJ comenta cobrança da taxa de parto

Nesta quinta-feira (19.01), o Dr. Rodrigo Araújo e a Dra. Claudineia Jonhsson, especialistas em Direito à Saúde e sócios de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, foram destaque no Portal Uol falando sobre a decisão da Justiça de São Paulo de considerar ilegal a cobrança da taxa de parto.

O pedido, feito pela Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo, foi rejeitado pela juíza federal Diana Brunstein. Muitos pacientes fazem o acompanhamento pré-natal com um médico do plano de saúde. No momento do parto, esse mesmo médico cobraria uma taxa extra para ser responsável pelo nascimento da criança, valor que seria pago pela própria paciente e não pela operadora.

Caso isso aconteça, a Dra. Claudineia orienta o consumidor a denunciar a prática à operadora de saúde e à própria Agência Nacional de Saúde (ANS). “Quando falamos em credenciado, isso significa que alguém está agindo em nome deles, quase como um funcionário. Por isso, quando acontece algo assim, é possível solicitar indenização ao próprio plano de saúde”, diz.

Para o Dr. Araújo, a taxa de indisponibilidade é uma tentativa ilegal de complementar o valor dos honorários médicos pagos pela operadora. “Ao se credenciar para atender pacientes de planos de saúde, o médico está ciente do valor da remuneração paga pelo convênio. Se é baixa ou insuficiente, tanto ele quanto a associação que o representa devem discutir o assunto com a própria operadora de saúde ou o especialista também pode optar por se descredenciar e atender somente pacientes particulares”, explica.

NSC Law comenta aumento nos pedidos de recuperação judicial

NSC Law comenta aumento nos pedidos de recuperação judicial

Nesta quarta-feira (18.01), o sócio do escritório Nicola, Saragossa e Campos Advogados, Jonathan Saragossa, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, foi destaque no Jornal DCI falando sobre o aumento nos pedidos de recuperação judicial.

De acordo com a matéria, o crescimento no número de pedidos tem como uma das causas o uso desse instrumento por empresas que estão prestes a falir. Um dos motivos apontados é a falta de uma apuração mais efetiva para evitar que companhias façam o pedido somente com a intenção de fugir das dívidas ou ganhar tempo.

O Dr. Jonathan Saragossa acredita que um outro fator que influencia esse aumento é a ordem de pagamento prevista em Lei: em primeiro lugar recebem os trabalhadores, depois o credor com garantia real, o fisco e, por último, os fornecedores e demais credores sem garantia:

“Se a empresa tem uma gama pequena de ativos, o valor arrecadado não chega nem ao pagamento do fisco, então é melhor aceitar uma recuperação do que perder tudo.”