Elementos da sala de aula do século 21

Elementos da sala de aula do século 21

A tecnologia digital educacional trouxe a possibilidade de tornar o processo de ensino-aprendizagem mais dinâmico e dar ao estudante o mesmo estímulo visual e interativo que lhe oferecem as tecnologias virtuais.

Os elementos da sala de aula do século 21 mudaram com o tempo e é preciso se atualizar para acompanhar as tendências desse meio.

A XD Education, cliente Tawil em redes sociais, é uma empresa brasileira que oferece soluções digitais para a área de educação.

Quer saber mais? Entre em contato conosco!

Mais da metade dos brasileiros acredita que o Facebook é a internet

Mais da metade dos brasileiros acredita que o Facebook é a internet

Uma pesquisa da Quartz, da Mozilla, mostra que 55% dos brasileiros consideram que o Facebook é a internet. O documento faz parte de uma seção do relatório “Who can succeed online?” que avalia o nível de entendimento das pessoas sobre a internet no mundo.

Outra constatação foi a de que 50% da força de trabalho da Europa não têm conhecimento digital adequado para o mercado de trabalho. Em alguns países, como Turquia e Macedônia, esse valor era de 65% ou mais.

O documento também ressalta que o Google é responsável por mais de 75% das pesquisas feitas na internet, e por 95,9% das pesquisas feitas de smartphones.

ACJ Advogados fala ao Exame sobre taxa pelo parto

ACJ Advogados fala ao Exame sobre taxa pelo parto

No último final de semana (22.01), o Dr. Rodrigo Araújo, especialista em Direito à Saúde e sócio de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa,  falou ao Exame sobre a cobrança de taxa extra pelo parto ser ilegal.

Para o Dr. Rodrigo, se a Justiça aceitasse o pedido de reconhecer a taxa como sendo legítima, médicos credenciados de outras especialidades também se sentiriam motivados a cobrar taxas extras de seus pacientes em caso de cirurgia de emergência, por exemplo.

Segundo o advogado, neste caso, o número de ações na Justiça aumentaria, já que a lei dos planos de saúde (9.656/98) já exige a cobertura integral das despesas quando o médico e o estabelecimento forem credenciados pelo plano de saúde.

O Dr. Rodrigo afirma ainda que a gestante não pode exigir que o médico que a acompanhou no pré-natal esteja disponível para realizar o parto a qualquer momento. Mas, por outro lado, ele não pode cobrar taxas adicionais para fazer isso. “Caso não possa ficar disponível, ele deve recusar o serviço,” explica.

Dicas para usar melhor o e-mail marketing

Dicas para usar melhor o e-mail marketing

O e-mail marketing é uma ótima forma de mandar informações, atrair e criar relacionamentos com seus contatos.

A Tawil te ajuda a produzir conteúdo institucional, edição e arte para publicações customizadas e campanhas. Entre em contato conosco!

Opice Blum Advogados fala sobre divulgação de notícias falsas

Opice Blum Advogados fala sobre divulgação de notícias falsas

Nesta segunda-feira (23.01), o Dr. Renato Opice Blum, especialista em Direito Digital e sócio do escritório Opice Blum, Bruno, Abrusio e Vainzof Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou sobre a disseminação de notícias falsas na internet ao Portal Jota.

De acordo com a matéria, noticias falsas estão sendo mais compartilhadas do que as verdadeiras. Para o Dr. Renato, em último caso, como medida extrema, cabe a retirada de um site mentiroso do ar: “A liberdade de expressão protege a manifestação do pensamento. Não estamos falando disso, mas de uma alteração da verdade, com algum objetivo que não conhecemos”.

O advogado ainda afirma que além da responsabilidade civil e da possibilidade de responder por injúria, calúnia e difamação perante as vítimas das mentiras, autores de sites de notícias falsas podem ser alvos também de ações relacionadas ao direito do consumidor.

 “Na prática você está apresentando um produto, a informação, que é fraudulento. É enganoso na apresentação. Você está ferindo o propósito do consumidor, mesmo que a remuneração seja indireta”, explica o Dr. Renato.

ACJ Advogados comenta cirurgia ilegal e morte de pacientes

ACJ Advogados comenta cirurgia ilegal e morte de pacientes

Neste domingo (23.01), o Dr. Rodrigo Araújo, especialista em Direito à Saúde e sócio de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, falou sobre o caso de um médico acusado de cirurgia ilegal no Brasil no programa Domingo Espetacular, da Rede Record.

A matéria denuncia a morte de 7 pacientes que passaram por cirurgia nas mãos do Dr. Áureo Ludovico de Paula, médico conhecido que tem entre as celebridades atendidas, o ex-jogador Romário. O procedimento médico chamado interposição ileal é usado para tratar a obesidade e a diabetes.

Os órgãos que regulam a medicina no Brasil apenas reconhecem o tratamento como experimental. O Dr. Rodrigo afirma que nesses casos, é fundamental que os pacientes que operam saibam os riscos envolvidos:

“Primeiro, o paciente tem que ter a manifestação livre e esclarecida a respeito do interesse dele em fazer a cirurgia. O paciente precisa fazer isso de forma gratuita, ou seja, ele não pode receber por participar da pesquisa clínica e também não pode ter que pagar os serviços do médico que vai realizar o procedimento.”

ACJ comenta cobrança da taxa de parto

ACJ comenta cobrança da taxa de parto

Nesta quinta-feira (19.01), o Dr. Rodrigo Araújo e a Dra. Claudineia Jonhsson, especialistas em Direito à Saúde e sócios de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, foram destaque no Portal Uol falando sobre a decisão da Justiça de São Paulo de considerar ilegal a cobrança da taxa de parto.

O pedido, feito pela Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo, foi rejeitado pela juíza federal Diana Brunstein. Muitos pacientes fazem o acompanhamento pré-natal com um médico do plano de saúde. No momento do parto, esse mesmo médico cobraria uma taxa extra para ser responsável pelo nascimento da criança, valor que seria pago pela própria paciente e não pela operadora.

Caso isso aconteça, a Dra. Claudineia orienta o consumidor a denunciar a prática à operadora de saúde e à própria Agência Nacional de Saúde (ANS). “Quando falamos em credenciado, isso significa que alguém está agindo em nome deles, quase como um funcionário. Por isso, quando acontece algo assim, é possível solicitar indenização ao próprio plano de saúde”, diz.

Para o Dr. Araújo, a taxa de indisponibilidade é uma tentativa ilegal de complementar o valor dos honorários médicos pagos pela operadora. “Ao se credenciar para atender pacientes de planos de saúde, o médico está ciente do valor da remuneração paga pelo convênio. Se é baixa ou insuficiente, tanto ele quanto a associação que o representa devem discutir o assunto com a própria operadora de saúde ou o especialista também pode optar por se descredenciar e atender somente pacientes particulares”, explica.

Jornalismo é novo foco do Facebook

Jornalismo é novo foco do Facebook

O Facebook anunciou um novo programa para tentar aproximar a rede social dos veículos de comunicação – o Facebook para Jornalismo. A iniciativa envolve a colaboração da companhia em novos produtos jornalísticos e no treinamento dos profissionais em novas ferramentas de publicação de conteúdo.

O objetivo da ação é fortalecer a relação com a imprensa. “Nossa comunidade valoriza o compartilhamento e discussão de ideias e notícias e, como parte de nosso serviço, queremos que o ecossistema de mídia e o jornalismo possam ter sucesso”, afirma Fidji Simo, diretora de produto do Facebook, no blog oficial da empresa.

Uma das ideias principais do projeto é criar novos formatos para reportagens com o uso de ferramentas da própria plataforma como a transmissão ao vivo e fotos e vídeos em 360 graus, por exemplo.

Os veículos parceiros do Facebook poderão ainda usar gratuitamente uma ferramenta que permite identificar os assuntos mais relevantes do momento, medir o desempenho das notícias e reconhecer influenciadores.

A educação dos usuários também será levada em conta neste processo e deve acontecer por meio de parcerias com empresas. O intuito é ajudar o público a encontrar informação de credibilidade no Facebook e evitar a disseminação de notícias falsas.

NSC Law comenta aumento nos pedidos de recuperação judicial

NSC Law comenta aumento nos pedidos de recuperação judicial

Nesta quarta-feira (18.01), o sócio do escritório Nicola, Saragossa e Campos Advogados, Jonathan Saragossa, cliente Tawil em Assessoria de Imprensa, foi destaque no Jornal DCI falando sobre o aumento nos pedidos de recuperação judicial.

De acordo com a matéria, o crescimento no número de pedidos tem como uma das causas o uso desse instrumento por empresas que estão prestes a falir. Um dos motivos apontados é a falta de uma apuração mais efetiva para evitar que companhias façam o pedido somente com a intenção de fugir das dívidas ou ganhar tempo.

O Dr. Jonathan Saragossa acredita que um outro fator que influencia esse aumento é a ordem de pagamento prevista em Lei: em primeiro lugar recebem os trabalhadores, depois o credor com garantia real, o fisco e, por último, os fornecedores e demais credores sem garantia:

“Se a empresa tem uma gama pequena de ativos, o valor arrecadado não chega nem ao pagamento do fisco, então é melhor aceitar uma recuperação do que perder tudo.”

9 características do marketing viral

9 características do marketing viral

Muitas vezes é difícil entender o que está por trás do marketing viral, mas se prestarmos atenção conseguiremos perceber características comuns aos conteúdos que viralizam e que podem ajudar nas estratégias de marketing da sua empresa.

Para se ter ideia da influência que os conteúdos publicados nas redes sociais exercem sob as pessoas, confira os dados abaixo:
– O boca a boca é o principal fator, sendo responsável por 20% a 50% de todas as decisões de compra
– 92% das pessoas que assistem vídeos em mobile compartilham com seus amigos
– 78% dos pequenos negócios atraem novos clientes através das redes sociais
– 68% dos consumidores fazem buscas nas redes sociais antes de comprar produtos
– A geração Z busca 2x mais informações em redes sociais do que a geração Y e 4x mais do que a X