Credibilidade, excelência e resultado

Credibilidade, excelência e resultado

Credibilidade, excelência e resultado. Desde 2010, a Tawil Comunicação auxilia marcas e negócios a dialogar com seus públicos de interesse e conquistar objetivos. São empresas de diversos setores que creditam à comunicação empresarial um diferencial competitivo e de fortalecimento de imagem.

Entre os serviços oferecidos pela agência estão:

  • Relações com a Mídia
  • Editorial
  • Social Media
  • Identidade Visual
  • Responsabilidade Corporativa

Conheça o nosso time especializado, de expertise multidisciplinar, e veja como podemos trabalhar pelo seu negócio.

Direito à Saúde é destaque nos Jornais Valor e O Globo

Direito à Saúde é destaque nos Jornais Valor e O Globo

O Dr. Rodrigo Araújo, sócio de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, escritório especializado em Direito à Saúde e cliente Tawil em Relações com a Mídia, falou ao Jornal Valor Econômico sobre o aumento dos gastos públicos com ações judiciais envolvendo remédios.

“O aumento também se justifica porque as pessoas estão ficando mais bem informadas”, afirma o advogado Rodrigo Araújo, do Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados. De acordo com ele, a questão afeta não só o setor público, mas também o setor privado – os planos de saúde.

O advogado também foi destaque em matéria do Jornal O Globo comentando a respeito da aprovação em assembleia dos relatórios de 2014 e 2015 e rateio das perdas da Unimed-Rio.

“— Os médicos são os verdadeiros donos da cooperativa, e é muito melhor dividirem os prejuízos nesse momento, com a empresa ainda em operação, do que assumir o prejuízo em fase de liquidação, onde muitos dos bens acabam sendo sucateados e vendidos a preços muito inferiores aos de mercado — diz Araújo, acrescentando que tudo, entretanto, poderá ser uma medida meramente paliativa se a cooperativa insistir nos mesmos erros que a levaram ao ponto em que está.”

Opice Blum | Assessoria de Imprensa e Redes Sociais

Opice Blum | Assessoria de Imprensa e Redes Sociais

A Tawil é responsável pela assessoria de imprensa e gerenciamento das redes sociais de Opice Blum Advogados Associados, um renomado escritório com atuação nas áreas Contenciosa e Consultiva de Direito Digital e Eletrônico, Propriedade Intelectual, Crimes Eletrônicos e Fraudes Digitais, Compliance Digital, Comércio Eletrônico, Educação Digital, Entretenimento e Mídia, Privacidade e Proteção de Dados, Startup e Inovação, entre outras.

Neste ano, três dos sócios – Renato Opice Blum, Juliana Abrusio e Rony Vainzof – foram selecionados como um dos melhores advogados do Brasil na 70ª edição da publicação americana The Best Lawyers. A Tawil preparou a arte abaixo para ser postada nas redes do escritório.

A edição 90 do Jornal da PUC-SP já está no ar!

A edição 90 do Jornal da PUC-SP já está no ar!

A edição de nº 90 do Jornal PUC-SP em Notícias já está disponível trazendo uma entrevista com a reitora Maria Amalia Andery, cenas da posse, apresentação e planos dos pró-reitores.

Saiba mais sobre os 25 anos de Iniciação Científica na Universidade, a reflexão de professores sobre a eleição de Donald Trump nos EUA e a cirurgia inédita realizada no Hospital Santa Lucinda, entre outras notícias.

Com um jornalista especializado internamente, Claudio Junqueira, head da Assessoria de Comunicação Institucional (ACI), a Tawil é responsável, desde 2013, por toda comunicação corporativa da instituição.

Brasileiros estão entre os youtubers mais influentes do mundo

Brasileiros estão entre os youtubers mais influentes do mundo

A Snack Intelligence, empresa especializada em pesquisas, monitoramentos e análises do mercado audiovisual digital, divulgou um ranking com os 100 youtubers mais influentes do mundo.

A lista conta com 24 youtubers brasileiros na lista. Em segundo lugar está Whindersson Nunes, que perdeu apenas para o canal americano Pew Die Pie.

Em 3º lugar está Felipe Neto. A lista segue com Nostalgia (11º), Você Sabia? (21º), Coisa de Nerd (23º), Invento Na Hora (27º), Porta dos Fundos (35º), Desce a Letra (37º), T3DDY (38º), CELLBIT (45º), Mr Poladoful (50º), Eu Fico Loko (53º), Luba TV (56º), AM3NIC (57º), Mussoumano (66º), Gameplay RJ (68º), Kondzilla (69º), Flavia Calina (72º), Matei Formiga (77º), Everson Zoio (84º), Authentic Games (85º), BRKS Edu (86º), Treta News (88º).

O ranking mediu a taxa de poder de influência do youtuber sobre a audiência da rede social, que envolve métricas, como frequência de publicação, atividade do canal número de inscritos, views, engajamento, entre outros. Vale lembrar que o Brasil tem o maior YouTube do mundo em minutos assistidos.

Uma nova abordagem para a educação do século 21

Uma nova abordagem para a educação do século 21

Fundada em 2012, a XD Education, empresa brasileira especializada em oferecer soluções digitais para a área de educação, vem transformando o processo de ensino-aprendizagem em mais de 300 instituições de ensino de todo o Brasil, por meio do software Eureka.in, que transforma inúmeros conceitos ligados às áreas de Ciências e Matemática em animações 3D.

Há três anos no mercado, a XD Education trabalha por uma causa nobre: potencializar a descoberta de interesses e talentos “escondidos” dos estudantes, oferecendo ao mercado brasileiro o que há de melhor na área de educação digital.

Por isso, a empresa trabalha com afinco em soluções customizáveis, que permitem que o professor possa adequá-las aos seus objetivos pedagógicos e que possibilitam seu uso nos mais diversos ambientes de ensino – desde escolas de ensino fundamental até universidades, passando por cursos profissionalizantes e técnicos. Entre essas soluções está o software Eureka.in.

Solução de software abrangente inovadora e interativa em terceira dimensão criada pela indiana Designmate, o Eureka.in tem como foco disciplinas de Ciências e Matemática. O software potencializa a aula do professor com conteúdo de alta qualidade, economizando tempo para explicar conceitos difíceis e facilitando a elaboração de seus planos de aula. O impacto das imagens em 3D estimula a memória dos alunos na medida em que deixa temas abstratos mais fáceis de serem explicados e entendidos

Ao todo, o Eureka.in disponibiliza mais de 2.000 Objetos de Aprendizagem bilíngue (português e inglês) em 3D, com textos, imagens, laboratórios virtuais e simulações interativas, e 250 títulos no Módulo 3D Estereoscópico para as disciplinas de biologia, química, física e matemática.

Desde 2015, a Tawil Comunicação é responsável pela gestão das redes sociais da XD Education produzindo posts e artes exclusivas, fazendo a curadoria de conteúdo e divulgando atualizações sobre o software.

Estratégia de marketing e a criação de personas

Estratégia de marketing e a criação de personas

As personas, personagens fictícios criados para representar os diferentes tipos de clientes de uma marca, podem ser extremamente úteis na criação de uma estratégia de marketing efetiva, além de possibilitar que você ofereça soluções e valor agregado ao seu público alvo.

De acordo com Henrique Carvalho, criador do Viver de Blog, as pessoas gostam de comprar o que é oferecido especificamente para elas. Um produto é bem melhor aceito se a oferta for feita baseada no perfil da pessoa.

É aí que entra a persona, ela é uma representação do seu público, o seu cliente ideal.

Ela terá todas as características que seu cliente tem: desejos, medos, objetivos, hobbies, interesses, relação familiar, faixa salarial. Quanto mais detalhes você tiver, melhor.

Você deve conhecer sua audiência ainda melhor para que ofereça um produto que eles desejam e que realmente vai ajudá-los a resolver seus problemas.

E acredite: muitas vezes eles não sabem que tem um problema até encontrar um produto que se propõe a resolvê-lo.

Nosso diretor no Top Voices 2016 do LinkedIn Brasil

Nosso diretor no Top Voices 2016 do LinkedIn Brasil

Nosso diretor, Marc Tawil, foi eleito uma das Top Voices 2016 do LinkedIn Brasil!

Em um artigo na própria rede social, Guilherme Odri, editor associado do LinkedIn, explica que essas vozes que se destacaram ao longo do ano têm algo em comum: “A mesma vontade de comunicar, de se fazer ouvir – e de estabelecer o diálogo. Eles inspiraram novas ideias e geraram conversas”.

Sobre o que escreve: Marc Tawil é um hit maker. Sempre antenado no que há de mais relevante e quente no momento, escreve sobre questões que, na sua ótica, “merecem ser tratadas com mais atenção, respeito e coerência”.

Melhor artigo de 2016: “A sua pontualidade diz muito sobre você. A sua impontualidade, mais ainda“. Ao publicá-lo, Tawil percebeu que uma angústia sua era um problema muito mais profundo, social e cultural, que incomoda milhões de pessoas e há muito tempo. Foram mais de 3 milhões de leituras em 9 meses! “Recebi e recebo feedbacks positivos até hoje”.

Principais inspirações para escrever: O segredo das pautas de Marc está nas observações do seu dia a dia. Ele costuma anotar ideias, ponderar com amigos, e checar se há aderência. “Precisa fazer sentido, ter um propósito. Escrever por escrever não rola”, garante.

 

A lista faz parte de um projeto global, que mapeou a rede social guiado por uma mistura de aplicação do banco de dados com o olhar editorial da equipe LinkedIn, selecionando usuários que se destacaram na plataforma nos últimos 12 meses.

A metodologia levou em conta o engajamento, crescimento de seguidores e o número de vezes que o usuário foi destacado.

Viva o respeito ao leitor, viva o conteúdo!

Mudanças nos planos de saúde afetam a vida de 50 milhões

Mudanças nos planos de saúde afetam a vida de 50 milhões

A Dra. Claudineia Jonhsson, advogada especializada em Direito à Saúde e sócia de Araújo, Conforti e Jonhsson Advogados Associados, cliente Tawil em relações com a mídia, foi entrevistada pelo R7 sobre as mudanças nas regras dos planos de saúde, que abrangem desde a venda de planos pela internet até novas penalidades impostas às operadoras.

Conforme apurado pelo portal, uma das mudanças anunciadas neste mês pela ANS, que permite a contratação do plano pela internet, pode revigorar a oferta de planos individuais, modelo de serviço quase abandonado pelas grandes empresas do setor.

Para a especialista, a atuação da ANS, por enquanto está abaixo das expectativas e é necessário investir mais em ações que combatam as negativas abusivas de atendimento. Confira a seguir a entrevista.

R7: A liberação para contratar o plano de saúde pela internet facilitar a vida do consumidor?
Claudineia Jonhsson: A mudança afeta apenas os contratos de natureza individual, que podem ser contratados por qualquer pessoa, sem nenhuma exigência. Para os modelo coletivo empresarial ou o por adesão a regra não se aplica. Portanto, apesar de ser mais um meio disponível para contratação e de ser importante a sua regulamentação, não terá muita aplicabilidade nesse primeiro momento, lembrando que o código de defesa do consumidor e a lei dos planos de saúde já eram suficientes para regulamentar esse tipo de contratação.

R7: Em relação aos riscos, eles não são muito diferentes daqueles que já existem hoje?
Claudineia Jonhsson: Contratar a prestação de serviços de assistência médica privada não é como contratar os serviços de uma empresa para pintar um apartamento ou fazer uma manutenção de um veículo. O consumidor precisa conhecer e entender aquilo que está contratando, pois há opções muito diferentes no mercado e cada uma delas implica em vantagens e desvantagens. Por exemplo, um plano com coparticipação diminui o valor da mensalidade, mas exige que o consumidor pague uma porcentagem de alguns procedimentos, como consultas e exames. Um plano com cobertura nacional de qualquer empresa que trabalhe sob a marca Unimed é muito diferente de um plano com cobertura nacional de outra operadora de saúde. O consumidor precisa obter de forma clara e explicativa as vantagens e desvantagens de um produto que pretende contratar. Atualmente o consumidor não tem essa informação e decerto  continuará assim através da venda online.

R7: Com a crise no mercado de trabalho e o desemprego, as operadoras dos planos de saúde estão procurando alternativas para o  negócios? A venda pela internet é um caminho?
Claudineia Jonhsson: Entendo que a venda online decorre muito mais do implemento de tecnologias do que da crise econômica. É uma evolução natural do setor, pois a quantidade de pessoas que utiliza a internet para fazer comprar produtos e contratar serviços só aumenta e o mercado precisa se adaptar e atender aos anseios da sociedade. Especificamente em relação à crise. A maioria das operadoras de saúde que quebraram já vinham mal muito antes da crise. Exemplo disso é a Unimed Paulistana e a Unimed Rio.

As outras grandes operadoras de saúde não sofreram nenhum impacto significativo com a perda de clientes, até porque elas conseguiram cobrar de quem manteve o serviço aquilo que perderam em razão daqueles que rescindiram o contrato. Exemplo disso são os reajustes aplicados aos contratos por sinistralidade,  cujos índices foram muito elevados, sem nenhuma interferência da ANS, ou seja, os efeitos da crise foram repassados ao consumidor que manteve o serviço, pagando bem mais caro do que pagava antes da crise. Com a crise, as despesas com assistência médica privada se tornaram uma das mais elevadas. O reajuste das operadoras de saúde é dobro da inflação do Brasil.

R7: Quais as principais mudanças nas regras de penalidades dos planos de saúde que ocorreram este ano? O direito do consumidor ficou mais protegido?
Claudineia Jonhsson: Entre as principais regulamentações implantadas pela ANS neste ano, está a Resolução Normativa n. 388, que regulamentou o prazo que a operadora de saúde tem para responder a uma reclamação do consumidor. Não muda muito a situação do consumidor porque a maioria das reclamações de natureza assistencial (negativa de cobertura) são geradas por motivos que são apoiados pela ANS, mas pelo menos passou a ter uma regulamentação do prazo para resposta. Há poucos anos, algumas operadoras de saúde chegavam ao absurdo de dizer ao consumidor que não iriam informar por escrito o motivo da negativa. Foi necessário ter uma norma da ANS para resolver isso. Recentemente, também tivemos a Resolução n. 412, que regulamentou a forma de cancelamento dos planos de saúde. Conforme já mencionado, a lei dos planos de saúde e o CDC são suficientes para tratar desse assunto, mas, por incrível que pareça, ainda existem alguns contratos que sequer mencionam como o consumidor deverá fazer para cancelar o serviço.

R7: Existem mais mudanças possíveis nas regras dos planos de saúde?
Claudineia Jonhsson: Sim. Há assuntos muito importantes sendo discutidos já neste momento, como por exemplo a questão dos chamados “planos de saúde populares”, que esperamos não seja aprovada. Outra discussão antiga e ainda pendente se refere às tentativas de reduzir a judicialização da saúde. Neste ano, o Conselho Nacional de Justiça aprovou a resolução que dispõe sobre a criação e a manutenção de “comitês estaduais de saúde” para elaborarem pareceres médicos aptos a “auxiliar” os juízes. Esse tipo de medida não deu certo antes e continuará a não dar certo. Isso porque tem-se tentado evitar que o paciente ajuíze a ação ao invés de tentar evitar que a operadora de saúde continue a negar abusivamente diversos procedimentos médicos. Há outros temas que gostaríamos que fossem logo discutidos.

R7: Quais?
Claudineia Jonhsson: Um deles é a falta de opções de contratação de planos de saúde individuais. Muitas pessoas podem pagar por um plano de saúde, mas não conseguem contratá-lo porque não tem um produto disponível para elas. Esse problema afeta principalmente aos idosos. O plano de saúde individual, único que pode ser contratado por qualquer pessoa sem restrição, oferece proteção muito maior para o consumidor, pois o teto do índice de reajuste é regulamentado pela ANS e o contrato não pode ser rescindido unilateralmente pela operadora de saúde se não houver inadimplemento do consumidor. Por esse motivo, ele deixou de ser comercializado pelas grandes operadoras de saúde. É necessário discutir esse problema e viabilizar meios para que esse tipo de contrato volte a ser disponibilizado no mercado. Ao invés disso, tentam aprovar o tal plano popular, um tipo de plano que tem diversas restrições de cobertura.